RODRIGO MORENO: A FÚRIA DE UM GOLEADOR.

Ontem, 23 de março de 2018, assisti pela TV dois ótimos jogos de futebol. A seleção brasileira vencendo a da Rússia por três a zero em Moscou e o empate de um a um da Espanha com a Alemanha em Berlim. Quatro equipes muito importantes para a próxima Copa do Mundo em junho próximo. A Rússia por ser a anfitriã e as outras três por estarem entre as favoritas ao título.

Foi muito bom ver que, apesar da ausência de Neymar, a seleção brasileira mostrou que é sempre forte e que renasceu das cinzas de 2014.

Mas o que quero destacar aqui é a excelente atuação do centroavante RODRIGO MORENO autor do único gol espanhol. Registro que ele é brasileiro, criado na adolescência metade do tempo no Brasil e outra metade na Espanha. Nascido no Rio de Janeiro em 1991, começou nas categorias de base do Flamengo em 2002, indo a seguir para clubes da Galícia, Real Madrid, Bolton da Inglaterra, Benfica e agora Valência onde é o artilheiro da equipe no Campeonato Espanhol. Rodrigo é filho de Adalberto, lateral esquerdo do Flamengo nos anos oitenta e com passagem pela seleção brasileira. Sentindo que teria poucas chances na seleção brasileira e por ter também a nacionalidade espanhola optou para servir as cores da Espanha desde as primeiras seleções de base, sendo hoje o maior artilheiro da seleção sub 21 da fúria. Está na seleção principal desde 1914, quando convocado por Vicente Del Bosque.

Abaixo Rodrigo com a camisa da seleção espanhola e com a do Valência C.F.

História semelhante tem seus amigos de infância Thiago e Rafael Alcântara, filhos também do ex-jogador Mazinho, Vasco e Palmeiras, campeão do mundo em 1994. Thiago hoje é destaque no Bayern de Munique e da seleção espanhola, enquanto Rafinha está na Inter de Milão.

Abaixo  a Seleção Brasileira de Juniores, campeã mundial em 83, no México – em pé: Adalberto, Hugo, Heitor, Régis, Guto, Dunga, Brigatti e Boni; agachados: Demétrio, Bebeto, Mauricinho, Geovani, Gilmar “Popoca”, Paulinho, Marinho Rã e Aloísio.

Abaixo Mazinho e seus dois filhos Thiago e Rafinha.

 

 

 

 

 

 

No Valência C.F. Rodrigo pode se inspirar na vitoriosa carreira de Waldo Machado da Silva, que se tornou o maior artilheiro estrangeiro do Clube com 160 gols e o segundo artilheiro geral do Clube, atrás somente de Edmundo Suárez, jogador da década de 40 e que veio a ser técnico de Waldo nos anos sessenta. Que Deus preserve seu talento e lhe dê saúde e ventura para pelo menos chegar perto do lendário Waldo, hoje, octogenário, vivendo em uma casa de repouso na linda Valência.  Rodrigo, como jogador, colabora na Associação dos Veteranos do Valência que mantêm a internação do maior artilheiro estrangeiro do Valência e segundo da história do clube e do maior goleador da história do Fluminense e da cidade do Rio de Janeiro, seguido por Quarentinha, Zico e Roberto Dinamite.

Acima Waldo com a camisa do Fluminense F.C. e com a do Valência C.F.

Nada havendo com o meu querido Fluminense, exceto Waldo-Valência-Rodrigo, escrevo com prazer sobre Rodrigo Moreno, filho de Adalberto e neto de Alberto Machado de quem fui colega de trabalho. Vi como o falecido Alberto tinha a alegre certeza no futuro futebolístico do menino Adalberto dos juvenis do Flamengo. Era tema comum de nossos papos nos longos plantões que tínhamos na repartição pública. Pena que Alberto não tenha vivido para ver triunfar também, e muito, o seu neto Rodrigo Moreno.

Notícias

Próxima rodada