PINTINHO HISTÓRICO: POKER-TRICK PELO SEVILHA CONTRA ZARAGOZA

Faz 40 anos que Carlos Alberto Gomes, Pintinho, marcou quatro gols pelo Sevilla FC contra o Real Zaragoza na partida correspondente ao 15º dia da Primeira Divisão da temporada 1981-82. A partida, disputada em La Romareda, foi a estreia de Manolo Cardo no banco de reservas e de um jovem jogador como Francisco López Alfaro. Nimo, Rivas, Antonio Álvarez, Curro Sanjosé; Francisco, Juan Carlos Álvarez, Pintinho, Ruda; Moisés Rodríguez e Santi. O brasileiro lembra com saudade daquela partida contra o Real Zaragoza. “Eu estava na Espanha há alguns meses. Perdemos o jogo na semana anterior contra Hércules e eles expulsaram Miguel Muñoz. Então Manolo Cardo veio e me disse o que eu precisava para gostar de jogar futebol. Eu disse a ele que se ele me desse liberdade, eu iria gostar. No Zaragoza joguei um dos melhores jogos com a camisa do Sevilla FC, mas as pessoas se lembram muito pelos quatro gols, a estreia de Manolo Cardo e Francisco… na noite anterior eu tive que dizer ao Francisco para me deixar dormir, eu estava muito nervoso e Cardo o colocou como colega de quarto. Eu, enquanto dormia pouco durante a semana, aproveitei para dormir muito nas concentrações. Como Francisco não me deixava dormir, fizemos um acordo e temos uma anedota muito engraçada. Eu disse a ele que íamos dizer a Antonio Álvarez para pedir para sair caso ele ganhasse o empate. Dissemos ao Santi para dar ao Francisco e eu ia ficar ao lado dele para que ele não perdesse o primeiro passe e assim ganhasse confiança. A má notícia veio quando não nos tiramos”, comentou a carioca com uma risada antes de continuar. “Sério, desde muito cedo tudo correu muito bem. Depois de dez minutos já estávamos ganhando. Moisés me deu um passe para o espaço, eu controlei com minha perna direita, eu vi Irazusta à frente e eu bati nele com a esquerda de cerca de 35-40 metros, fazendo-lhe uma vaselina. A verdade é que foi um belo gol. Isso nos deu muita confiança e depois de dez minutos eu marquei novamente aproveitando uma bola solta dentro da área”, disse Pintinho.O ex-jogador nascido no Rio de Janeiro continuou com sua história. “Eles nos cortaram distâncias através do Jorge Valdano, que bateu de fora da área depois de uma boa jogada pessoal, e o Buyo não conseguiu fazer nada. Eles nos cortaram distâncias e em 25 minutos estávamos 1-2, mas havia nossa força. Viemos de uma dinâmica muito ruim e lá nos tornamos fortes para mudá-la. Cinco minutos depois, eu também marquei depois de uma jogada que fizemos entre Francisco, Ruda e eu. Eles alegaram impedimento, mas acho que não houve. O próprio Ruda ia bater uma bola no bastão do Zaragoza antes do intervalo, então pudemos ir para o vestiário com uma vantagem maior. Já no segundo tempo, começamos muito bem e marquei um pênalti muito claro que fizeram para o Santi, que foi muito rápido, quando saiu sozinho. Enganei Irazusta e marquei meu quarto gol da tarde. Como eu gosto de dizer, eu estava errado quatro vezes”, brincou o brasileiro.

Por fim, Pintinho explicou que esses objetivos se devem, em parte, à confiança que Manolo Cardo tinha nele. “Eu não era muito goleador, mas naquele dia eu tinha muita confiança, que o Manolo Cardo tinha colocado em mim, e eu devolvi com gols. De qualquer forma, acho que meu melhor jogo com a camisa do Sevilla FC foi contra o PAOK, embora o de La Romareda seja o que as pessoas mais se lembram por marcar os quatro gols”, finalizou o brasileiro do Rio de Janeiro, onde está de férias.

 

VEJAM OS MEMORÁVEIS GOLS NO LINK

 

 

Próxima rodada